22 de mai de 2012

ATÉ QUANDO


"Sabe quando você acha que superou algo e de repente, se depara com uma situação que prova que você é um fraco?
Sabe quando uma coisinha simples te arranca lágrimas extremamente dolorosas?
Sabe quando você quer não pensar e simplesmente não consegue organizar a confusão em sua mente?
Nesse momento você quer um amigo, um abraço, um carinho, mas ainda assim continua só.
Sabe quando pessoas que você achava maduras agem feito uma criança mimada quando você bate de frente?
Às vezes eu só queria um pouco mais...
Eu não peço, eu não procuro, eu não exijo...
Continuo calada vivendo minha triste imperfeição.
Fico me questionando se saber o que realmente iria acontecer mudaria algo...
Devo ter esquecido que antes de chegar ao fim eu tinha que viver o inicio.
Talvez eu esteja dormindo de olhos aberto...
Mas se nada disso é reconhecido ainda, porque será que eu ainda luto?
Acho que o jogo é muito maior e que preciso ser substituída... Creio que já fui...
Quantas vezes te pedi para pensar e agir antes que fosse tarde. Hoje só restam as cinzas dos planos não concretizados.
Mas como abandonar tudo isso?
Não é fácil erguer a cabeça e se desvencilhar de algo que faz parte de você.
É como sentir o calor do sol e ainda assim ver a escuridão do céu.
É como encontrar um oásis e ainda assim ter sede.
É como ter uma bussola e não saber o caminho.
O que posso fazer? Fingir que nada sinto? Desculpe-me, mas não consigo!
Você sabe que mesmo que você mude seu passado de sombra e luz, tudo sempre voltará para o mesmo lugar?
Acreditar na esperança é o que me faz viver.
Ainda assim me pergunto se mesmo que você alcance sua glória será que é tudo que sempre sonhou?
Não quero mais tudo o que o destino me traz.
Ter esperança apenas é o necessário? Será suficiente?
Até onde isso vai chegar?
Até onde vamos com isso?
Até quando vamos nos machucar?
Até quando?"
Aline Alves


Nenhum comentário:

Postar um comentário