12 de abr de 2014

COADJUVANTE DO SEU SHOW


"Ainda lembro da cor dos olhos dela brilhando como a lua quando clama por atenção.
Talvez tenha sido um erro amar o sol enquanto a lua estava no meu céu, mas nunca fui a leitora de um livro só.
Engraçado mesmo é que não havia sequer estrelas no céu aquela noite...
Ela... Eu... A noite.. Sussurros... Suspiros...
E quando me dei conta seus cabelos se misturavam aos meus e sua boca só conhecia o caminho que levava a minha.
Era uma mistura de cores, sabores e sensações, que não sei descrever ao certo se foi real ou apenas mais um delírio meu.
E num fluxo orquestrado minhas mãos passeavam pelos caminhos de sua pele, suas pernas se entrelaçavam nas minhas de tal forma que eu não sabia distinguir o que era de quem.
Os olhos cor de céu, os cabelos cor de sol, a boca com sabor de sorvete em dia quente e eu era apenas coadjuvante no show que ela se propôs a fazer.
Seu gosto ficou em mim e seu gozo deixou um ar de que foi eterno...
Hoje o sol me aquece, mas sinto falta mesmo é do luar na minha noite fria."
Aline Alves

SORRIA MINHA CARA


"O que houve?
Pra onde vai esse sorriso que encanta até em foto?
Talvez um desgaste emocional ou quem sabe uma desilusão qualquer? Prefiro nem entender, continuo achando que nada deveria dissipar esse brilho que abre covinhas nas bochechas e caminhos nos meus pensamentos.
Pare, respiro, feche os olhos e se perca em qualquer lugar onde nada consiga arrancar a coisa mais linda em você.
Não sei seus caminhos, não sei suas dores, não sei quem é você, mas sei que nada pode ser importante o bastante para valer algo tão precioso.
Se te cabe de consolo, já estive do outro lado da desilusão e sei que o caminho é um só e é exatamente o oposto desse que você está agora.
Que venha o vendaval, que venha a tempestade e que em seu interior permaneça a quietude e a calmaria da certeza que o poeta tinha razão: É claro que o sol vai voltar amanhã.
Sorria minha cara e saiba que o fim da escuridão está próximo!"
Aline Alves