26 de nov de 2016

DELIRIO E REALIDADE (ELA COMO DEVERIA SER)


Quando estive triste, o sorriso dela foi luz do sol
E quando não havia música, ela foi canção em lá bemol

Quando meu coração parou, ela foi taquicardia
E quando eu anoiteci, ela foi dia

Quando eu era tempestade, ela era calmaria
E quando eu fui Sepultura, ela era Ana Carolina

Se eu desespero, ela respira
Mas se eu acalmo, ela grita

Quando fui Chapeuzinho, ela era a Bruxa
E quando me abriguei, ela queria banho de chuva

Quando amarguei, ela foi doce em calda
E quando quis fugir, ela disse “volta”

Se eu me desespero, ela me envolve
E se eu tinha insônia, ela dorme

E quando me perdi, ela foi o mapa para casa
E quando não havia mais futuro, ela tirou as cartas

Quando eu era novela das oito, ela foi um filme ganhador do Oscar
E quando pensei que estava sozinha, ela decidiu me amar

Quando deixei de voar, ela me deu asas
E se eu reclamo, choro, corro... Ela me abraça!

Não há para onde correr e eu nem queria, pois o melhor lugar do mundo está nas três covinhas daquela baixinha.

Aline Alves

Um comentário:

  1. Quando um sorriso consegue dizer mais que qualquer verso, quando um olhar se pronuncia mais que um " eu te amo". Obrigado por superar tudo que eu espero. Grandona

    ResponderExcluir