22 de nov de 2012

GIVIN' UP



"O cinza dos teus olhos
Reflete o dia chuvoso
E eu, do lado de fora
Renegado em teu coração
Trancado do lado de fora
Sem esperança de entrar
De retomar nossa história
De voltar ao que era antes
Andando sozinho na chuva
Encharcado da cabeça aos pés
Sem direção, vagando por aí
Só desistindo, desta vez
Água no corpo, água nos olhos
Escorrendo pela minha face
Sem expresão, um olhar perdido
Apenas frustração
Minhas pegadas apagadas
Como se nunca tivesse estado nessa rua
Como se os vizinhos não me conhecessem
Mesmo após tantos anos
Ninguém mais me reconhece
Nem você, nem tua família
Sou apenas mais um na multidão
Sem ser notado, apenas caminho
Ainda sem saber onde chegar
Mas em algum momento a chuva há de cessar
E o sol voltará a sair
Nesse instante, eu sei que vou sorrir
Pois a tormenta terá ficado pra trás"
Thiago Lamas

MILHÕES DE OLHARES



"Me perdi nas palavras
Enquanto pensava
No que já vivi ao teu lado
Quanto mais eu lembrava
Em minha cara
Se via um sorriso estampado

Foram dias e noites
E ainda me lembro
Com perfeição os detalhes
Serão anos e anos
Até nossa morte
Trocando milhões de olhares


Entrelace seus dedos nos meus
Não me solte
Preciso sentir o seu toque
O calor da tua pele em meu corpo
Me deixa maluco
Isso é tão tão excitante

Serão dias de glória
E a nossa história
Eu vou me lembrar em detalhes
Serão noites de fúria
Em nossa loucura
Trocando milhões de olhares


Toda vez que te olho nos olhos
Me afogo nessa imensidão azul
Mas você me resgata num beijo
Desejo mais um e mais um e mais um..."
Thiago Lamas

16 de nov de 2012

DE REPENTE


"Não sou a solução de seus problemas.
Muito me escondo pra não deixar o mundo ver o tamanho de certas fragilidades e ainda assim você diz gostar.
Tudo tão de repente e tão intenso, embora ainda confuso...
Não foi no momento certo, nem mesmo na hora certa, mas sei que foi da forma que deveria ser.
Seu jeito efusivo, explosivo, mas ainda assim frágil... Você é uma menina tão mulher e ainda assim é só uma garota precisando de colo.
E eu... Ah eu... Talvez seja um erro que você goste de cometer ou talvez apenas mais uma.
Mas sinto que preciso cuidar de alguém que está de alguma forma cuidando de mim.
E eu continuo perdida entre a certeza e a aventura, a calmaria e as loucuras do teu mar..."
Aline Alves

12 de nov de 2012

OLHOS CANSADOS


"Alguns passos dados no rumo que meus olhos apontam. A visão já turva na maior parte do tempo, certamente não aponta o melhor caminho, mas sei que me levam pra longe de tudo que vi por aqui.
Esses olhos tristes que já presenciaram tantas coisas, tantas dores e por muito tempo estiveram imersos em lágrimas.
Olhos que por muito tempo buscaram insaciavelmente aqueles olhos... Aqueles olhos tão singelos e ternos, porém que escondiam uma capacidade enorme de magoar e arrancar lágrimas desses meus olhos cansados.
Pobres olhos que viram o amor partir. Viram a traição, a mentira, a enganação... Olhos que viram lobos em pele de carneiro, aproveitadores se aproximando, certezas sendo quebradas, amigos se afastando, se perdendo...
Se fecho esses olhos sinto que eles desejam intensamente não mais abrir e apenas se esconder da luz, de alguma forma tola hoje eles acreditam que existe um abrigo escondidos na escuridão dos meus sonhos.
E quem pode julgar se hoje meus olhos assustados se escondem do mundo?
Por tanto tempo eles foram fortes, firmes, mas sensíveis de alguma forma.
Mas quando eles viram que seu super-herói na verdade era o maior vilão de sua história, a forma como o mundo era visto mudou completamente e aqueles olhos inocentes se tornaram frios e vazios.
Aqueles olhos que viam o mundo com a visão de uma criança, hoje preferem não mais enxergar.
E mesmo com a visão embaçada, meus pés seguem a estrada que meus olhos indicam... Amanhã possivelmente esses olhos se cansarão e se recusarão a ver mais uma vez e meus pés com eles descansarão eternamente!"
Aline Alves

TALVEZ


"Talvez eu quisesse que dias como esse não existissem, mas sei que é preciso de momentos assim para que algo de bom possa acontecer um dia quem sabe.
Talvez houvesse uma remota esperança de que o passado tivesse algum sentido e fosse capaz de ter algum valor hoje.
Talvez Deus tenha atendido minhas preces desesperadas, muitas vezes cheias de dor e lágrimas pedindo pra que tudo isso saísse de mim.
Talvez todas as músicas tenham perdido o sentido ou quem sabe hoje façam todo o sentido do mundo.
Talvez tenha sido uma enorme mentira ou apenas uma certeza momentânea.
Talvez eu ainda ache que não deveria ter caminhado por essa estrada tanto tempo, mas talvez tenha sido isso que fez de mim quem eu sou (mesmo que isso não seja tão bom assim).
Talvez hoje eu seja melhor... Talvez não...
Talvez eu ainda escreva achando que certos olhos lerão... Talvez isso seja só uma utopia cruel...
Talvez eu estivesse precisando chorar pra limpar o que está me corroendo.
Talvez essas sejam as lágrimas mais dolorosas dos últimos tempos.
Talvez, talvez e mais talvez.
E sem saber ao certo o que é certo, vou me questionando e contando com quantos 'talvez' eu feita."
Aline Alves