3 de mai de 2012

MAIS UMA MADRUGADA


"Mais uma madrugada em claro perdendo minha alma em coisas vãs.
A madrugada que chega e toma conta do mundo lá fora é a mesma que me faz acreditar que o dia não vai voltar a nascer. Talvez o sol volte a brilhar em algumas horas, mas em mim não a luz que possa clarear a alma.
Tenho estado tão perdida que já nem sei sobre o que escrevo ou pra quem dedico meus pensamentos.
A cada passo minhas pernas se entrelaçam e me jogam ao chão...
Sustento gloriosamente um sorriso em um rosto pálido. Doo palavras de conforto a quem precisa, mas não consigo confortar a mim mesma e então eu me pergunto: O que me resta?
Viver? Caminhar? Tentar?
Sinto que não sou o que veem e muito menos o que esperam. Meu maior medo é que não estejam mais aqui quando a verdade se tornar mais forte e tomar conta da mentira que eu sou.
Estaria o mundo preparado para a verdade ou será que está tão cego quanto eu?
Não sei o que é realmente pior, se guardar dentro de uma armadura e cobrir seus sentimentos com uma marcara por medo de tudo ou se é se expor e encarar de frente a vida.
Não sei se sou eu que não estou preparada para viver ou se é a vida que não se adaptaria a mim.
Sou um devaneio de Deus, uma mentira do destino, uma brincadeira da existência, uma contradição de verdades e pensamentos... Sou tudo e ao mesmo tempo nada.
Sou a falta que o satisfeito sente e a calma do desesperado.
Sou a certeza do incerto e o defeito do perfeito.
Sou a desgraça entre os que venceram...
E ainda assim sou a esperança dentro de alguns. A ruina aos olhos de outros...
Na verdade eu queria ser apenas eu mesma. Sem batalhas para lutar, sem mentiras para esconder, sem amores para esquecer e sem esse desanimo que faz com que a cada dia eu agradeça a Deus por um dia a menos nessa jornada. "
Aline Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário