3 de mai de 2012

CARTAS AOS MEUS - III


"Eu costumo a sempre falar em anjos, dizer o quanto eles são importantes e o quanto os invejo. Queria ter asas e voar por ai, sentir o vento no meu rosto e saber que a liberdade existe...
Depois de algum tempo percebi que enquanto eu me esforço tanto para imitar, você simplesmente é por natureza.
Eu permaneço na minha tola imperfeição de julgar, criticar e tentar ser o que não sou, mas você é tão sutil e mesmo assim tão firme em tudo.
Vejo você camuflar sua dor só para se importar com os outros e tentar roubar um pouco da dor deles.
Vejo alguém que sempre quer ajudar e que não mede palavras pelo bem dos outros.
Não vejo uma humana, vejo um anjo.
Vejo um ser iluminado que trás luz para vida de muita gente... Inclusive para mim.
Eu me escondo, me tranco, me guardo e ainda assim você está aqui...
Eu poderia agora agradecer em nome de todos que estão a sua volta, pelo simples fato de você existir.
Eu poderia dizer que você é indispensável na vida dos que te cercam e por isso é única e especial.
Poderia dizer frases manjadas que você deve estar cansada de ouvir.
Mas eu não posso falar pelos outros, muito menos dizer coisas que estão longe de alcançar o que você merece.
Muitas vezes eu não falo, eu não retribuo, eu não correspondo...
Se eu tenho o direito de dizer algo, digo apenas eu te amo...
Graças a você hoje eu sei que anjos existem e que muitas vezes não podem voar, mas que são capazes de nos tirar do chão."
Aline Alves



Nenhum comentário:

Postar um comentário