14 de fev de 2013

OUÇA O SILÊNCIO...


"Sozinha...
Nem me lembro a última vez que fiquei fisicamente só, embora tenho estado assim espiritualmente e emocionalmente já há algum tempo.
Precisava disso. Consigo ouvir meus pensamentos claramente, sem gritos, sem desespero, sem dor, sem confusão...
É incrível como o tempo muda quem nós realmente somos e na nossa correria diária deixamos isso passar despercebido. Decidi aproveitar o silêncio da casa e me convidei a pensar sobre quem fui, quem sou e o que realmente ainda está em mim.
Quis me livrar de tanta coisa por tanto tempo e só agora percebi que eu estive tão acomodada a dor, que já não precisava do que a causava e ainda assim eu buscava de uma forma inexplicável e sem sentido por isso.
Talvez fosse só uma maneira de me esconder a minha necessidade de voltar a viver, ou talvez tenha sido um masoquismo consentido.
Revirei os velhos CDs e descobri novas emoções em velhas músicas que eu havia sepultado por medo de reacender algo que a muito já se apagou.
Vi o quanto precisava me livrar de velhos vícios que só tiveram seu lado bom na minha mente e apenas ali.
Percebi o quanto minhas palavras e minhas ações foram medíocres esse tempo todo e se eu sou aquilo que faço e penso, de fato eu também fui.
Quis justificar minha existência correndo atrás daquilo que nunca deveria ter entrado na minha vida e assim me escondi atrás de uma razão sem fundamento, de um amor sem compaixão, de uma luta sem objetivo, de uma guerra que nunca saiu do meu imaginário.
Vi que por muitas vezes fui extremamente infantil e mascarei isso da forma mais pobre que eu poderia, me sentindo a mais maduras das pessoas.
Não tenho receio de assumir meus erros...
No silêncio tudo é tão claro e assustador, mas já não me amedronta mais.
As pessoas temem a solidão, embora não saibam o quanto ela é importante para engrandecer quem somos. Estar sempre junto a alguém ou em meio a multidão nos faz vaidosos e incapazes de ver aquilo que está tão claro, porém  ignorado.
Escolhi ficar só, não por não haver ninguém, mas por saber que eu preciso disso. Que meu coração e minha mente precisam descansar para encontrarem o equilíbrio que foi perdido em alguma parte do meu passado.
Algumas pessoas pulam de um relacionamento em outro buscando preencher a falta que sentem de si mesmos e com isso acabam transformando o vazio que sentiam em um abismo sem fim. Geralmente pessoas assim nunca tiveram que lutar por algo na vida e o fato de terem tudo sem nenhum esforço, fez com que elas não soubessem dar valor ao que tem e se acomodassem esperando o acaso fazer por elas.
Alguns nasceram para amar, outros por não saberem o que realmente é isso buscam coisas passageiras (beleza, dinheiro, diversão...) e quando se dão conta da escolha que fizeram percebem que o tempo passou e que já não há mais tempo pra lamentar.
Não chorei, não me culpei, não sofri como pensei que sofreria, não me martirizei, não me afastei do mundo, mas escolhi buscar em mim aquilo que buscava nos outros e sei que quando eu encontrar não vou ser uma pessoa mais forte, mas serei alguém melhor do que sou.
Acho que o mundo deveria se calar mais e aprender que muitas vezes é no silêncio que encontramos as respostas que passamos a vida inteira buscando em palavras."
Aline Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário