20 de mar de 2012

ALÉM


"O que te leva a crer que pode me julgar?
Você não conhece meus medos, meus conflitos...
Você não escreveu as linhas do meu livro da vida, pra se achar no direito de achar defeitos na minha história!
Onde você estava quando eu chorei? E quando eu precisei de alguém para conversar? Você estava por perto pra me estender a mão quando eu cai?
Enquanto sua família te abraçava, eu chorava a falta do meu pai, as brigas e incompreensão da minha mãe e o descaso do meu irmão.
Enquanto você era o popular da escola, eu era a menina gorda e de óculos que se escondia nos cantos.
Enquanto você viveu, eu sobrevivi.
Então antes de apontar algo em mim, retenha-se ao seu silêncio e aprenda a observar muito além do agora.
Inofensivas palavras podem ser grandes terremotos.
As coisas sempre vão além do agora, além do que seus olhos veem, além da sua ignorância!"
Aline Alves


Nenhum comentário:

Postar um comentário