14 de out de 2012

FRIO E INCONSTANTE


"Entre essas paredes e dentre tantas coisas que aconteceram eu sou a única ainda presa em um mundo que só existiu de fato em minha mente.
E por tantos momentos quis estar sozinha, hoje de fato estou. Não dói como antes, mas ainda move uma parte enorme de mim.
Em meio ao melhor momento, vivo os piores pensamentos, escolho as pessoas perfeitas com os defeitos mais incertos, busco crenças que não me completam e finjo estar bem mesmo estando no olho do furacão.
É uma dor silenciosa.
Uma doença que apodrece meu amago aos poucos.
Um desapego frio e inconstante que faz de mim tão pobre e desmerecedora das conquistar que tive até hoje.
Há uma crueldade contida, uma maldade escondida, um ódio que culmina em fingimentos e aparências... Muitos se iludem e acabam achando que estou cercada de virtudes, quando na verdade não passo de uma miserável sem muito futuro.
O sorriso que por muitas vezes brinca pelos meus lábios esconde tantas coisas que assustariam o mundo, que talvez por isso eu prefira tanto me manter só.
Seguir só, ajuda a não ferir o mundo com suas fraquezas.
Vejo tanta gente sofrendo por tão pouco e reclamando perdas tão pequenas... Fico comparando a tudo que já vivi... Não que minhas dores sejam maiores, ou que o sofrimentos de alguém possa ser desmerecido, mas ha coisas tão maiores no mundo...
Vejo que grandes perdas nos fazem dar valor as pequenas coisas...
As pessoas não deveriam esperar o martírio da perda para saber o quão algo é importante e valioso para elas!
Mas quem sou eu para ter o direito de interferir na vida de alguém ou direcionar minhas meras palavras a alguma direção?
Sou tão pequena e imperfeita em tudo que faço...
Hoje eu penso e não nego, mas vivo e não espero, porque esperar é a tática dos incapazes de fazer.
Entre pensamentos, apago mais um cigarro (mais uma vez com a promessa de que seja o último) e contemplo aquilo que nunca serei, nem pra mim nem pra ninguém.
Deixe esse dia se esconder no passado e se tornar apenas mais um perdido entre tudo aquilo que deixei pelo caminho, que ele se encontre com amigos e um grande amor que assim como ele, não voltarão!"
Aline Alves

2 comentários:

  1. Adorei, a perda nos põe grandes ensinamentos e neste ponto percebe-se que a vida nos propõe muito mais que enxergamos.
    Parabéns pela escrita!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Luiz! Certas perdas nos fazem crescer de mais!

    ResponderExcluir