10 de mar de 2013

DELÍRIO


"Ainda estou longe do fim e pretensiosamente ainda tento colocar um ponto final aqui...
Não dá pra esperar que ninguém me entenda se nem eu tenho essa capacidade, mas como entender alguém que em meio a uma tempestade de pensamentos tenta se proteger com um guarda-chuva de lirismo e delírios poéticos?
Sei bem como começou, mas ainda tento fugir de como termina embora eu já soubesse disso desde sempre...
Ai me pego pensando em tanta coisa e escrevendo uma sequência orquestrada de palavras sem sentido que não podem me tirar da inércia.
Em momentos como esse percebo o tamanho da minha mediocridade e a força das minhas fraquezas. Coisa de gente frustrada...
Como se eu pudesse ter controle sobre as palavras quando elas brincam comigo.
Não faz muito sentido para o mundo, mas pra mim...
Melhor apagar o cigarro e ver as estrelas no teto do meu quarto já que elas se parecem muito comigo, pois só brilham de fato no escuro..."
Aline Alves

2 comentários:

  1. As palavras podem não te tirar da inércia, mas elas são dinâmicas. Atirou-as no "espaço", e pronto, não te pertencem mais, porque vai depender da interpretação e da astúcia do seu leitor, ainda mais se estiverem codificadas! Não deixe de escrever sobre os seus sentimentos. A escrita em forma de poesias e textos ajudam a organizar as ideias,sendo uma boa forma de desabafo. Além disso, você pode até achar que a sua estrela está sozinha brilhando no escuro, mas mesmo estando em uma "galaxia" vizinha, eu consigo enxergá-la bem daqui.

    ResponderExcluir
  2. Xará, que belo comentário... Não quer escrever pra nossa página de convidados, não? O convite está feito ;)
    -Th.

    ResponderExcluir