22 de jul de 2013

TALVEZ EU PRECISE


"Preciso começar a não pensar... É talvez precise.
Já chorei até soluçar e já perdi algumas noites de sono.
Talvez eu precise não pensar... É talvez precise.
Não tenho conseguido comer e nem beber nada. Até as coisas mais normais da vida se tornaram pesadas.
Talvez eu precise não pensar... Começo a crer que eu realmente preciso.
Procurei todos os amigos que poderia imaginar. Conversei, vi velhas fotos, ri, ouvi conselhos, sai, vi gente.
Mas talvez eu precise não pensar... Ajudaria bastante!
Virei madrugadas relembrando cada momento e cada sorriso que fez tudo ser o que foi e assim vi surgir um sorriso leve e sincero que logo foi rompido pela realidade.
Talvez a dor fosse menor se eu parasse de pensar... Preciso mesmo.
Decidi esperar, ser compreensiva, agir como se a dor não fosse gritante.
Mas acho mesmo que preciso parar de pensar... Resolveria parte de tudo.
Já fumei, mas ainda evito beber. Comi um monte de doces até vomitar! Se bem que meu estomago já está tão revirado que qualquer coisa que eu tentar colocar pra dentro, certamente irá voltar.
Acho que seria mais fácil parar de pensar... Preciso parar de achar e me desligar.
Preciso saber o que fazer: fechar o livro ou escrever mais algumas páginas. Se bem que nem lembro mais como ler.
Preciso mesmo é começar a não pensar... É talvez precise."

Aline Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário